ESPETÁCULO IMPERDÍVEL – INGRESSOS GRATUITOS!!!


Escrita pelo austríaco Peter Handke, a peça, com apresentações gratuitas, traz 16 atores interpretando 300 personagens (cabendo para cada ator a construção, em média, de 20 personagens) que não falam absolutamente nada.

Essa ausência de palavras faz com que os atores e a direção se desdobrem para alcançar humanidade em cada uma das silenciosas pessoas que cruza uma praça, cenário da montagem. Mais de mil peças de roupas e 300 adereços são usados para compor os 300 personagens.

Fonte do texto: Catraca Livre.

ÚLTIMO FINAL DE SEMANA!

TEATRO DE RUA


Reestréia – O Santo Guerreiro e o Herói Desajustado

A história

Uma companhia de teatro, caminhando há século em busca do mar, chega à metrópole. É neste imenso “oceano” que ela vem apresentar a história de Dom Quixote e de São Jorge Guerreiro. O honrado fidalgo Quixote, em sua luta individual e solitária, enxerga na grande cidade a imagem da sua amada Dulcinéia. Seus nobres ideais entram em conflito com as regras e leis que regem a metrópole; Quixote e Sancho Pança, então, acabam vendo-se perdidos, inadaptáveis à contemporaneidade. São Jorge, o santo popular, vem resgatá-lo e revelar a importância da coletividade que ainda pulsa na cidade. O roteiro se desenvolve como num desfile de escola de samba, com carros alegóricos em forma de barco, diferentes alas e samba-enredo.

O SANTO GUERREIRO E O HERÓI DESAJUSTADO Dramaturgia: Marcelo Reis, Rogério Tarifa e Alexandre Krug. Direção: Rogério Tarifa. Com: Cia. São Jorge de Variedades. 120 min. Livre. Primeira experiência de teatro de rua da companhia, a peça simula um improvável encontro entre Dom Quixote e são Jorge para discutir o arquétipo do herói nos dias de hoje. R. Lopes de Oliveira, 342, em frente a Casa de São Jorge, Barra Funda, região oeste, tel. 3284-9339. Dom.: 15h. Até 28/2.

Fonte: http://catracalivre.folha.uol.com.br/ e Guia da Folha