Carta aos alunos


Aos alunos que integraram o elenco de A-QUARUP e CORDA BAMBA:

É com muita satisfação que faço a avaliação desse um ano de trabalho. Sinto-me realizada por proporcionar a cada um de vocês a experiência do fazer teatral. Digo fazer teatral, pois puderam compreender que o teatro não se mantém se o mesmo não agir como um coletivo.

Dos exercícios às técnicas, das técnicas ao experimento, do experimento à aprendizagem. Puderam de fato saber o que é teatro, e como sempre digo, ele não se realiza somente no palco e sim em todos os ambientes e relações que se criam no espaço e fora dele. Poder olhar para além do nosso próprio umbigo, saber escolher a obra (peça) tornando-a necessária para a sociedade e não somente para a exibição de seus próprios egos.

Depois de um ano de curso, pude testemunhar o prazer, o orgulho, o alívio e a superação que sentiam por estarem ali, realizando seus desejos, investindo em seus sonhos ou simplesmente por se permitirem existir de uma maneira diferente.

Aprenderam a olhar, tocar, sentir. Desvendar os exercícios e técnicas e transformá-las para o uso de seu cotidiano. Cantaram, dançaram, caíram, choraram. O frio na barriga e o medo, acreditem, é a melhor coisa que o ator pode sentir antes de subir ao palco. É a certeza de que estão vivos e que o que fazem ainda o instigam, não percam isso nunca!

Sim, cada um que pisou naquele palco, teve sua função. Atores preparados, instigados e apaixonados pelo o que estavam fazendo. Puderam provar que dividir é somar, pois não existiu ali (nas peças), ator que estivesse simplesmente cobrindo um buraco ou sendo usado como papel de parede, como acontece por aí a fora!

Me emociono em pensar que o teatro foi um ambiente propicio para as amizades, souberam antes de tudo se conhecerem para então aprender a respeitar o próximo. Amigos que levarão para a vida inteira. Pois lidar com o desconhecido não é nada fácil e foram astutos e pacientes.

Agradeço à todos que participaram da produção e se candidataram para recortar um tecido, doar objetos, colocar um alfinete, subir em escadas, segurar a escada, amarrar um bambú, colar uma folha, fazer um saco, emprestar, ajudar, colaborar, etc.

E, quando quiserem desistir por acharem que já é o suficiente, acreditem, nunca será o suficiente, sempre vai haver algo que possamos melhorar.

Obrigada pela vontade de todos nas aulas, pelas reuniões de produções, pelos ensaios extras, pelas festas e principalmente por acreditarem em minha condução.

Hoje, com orgulho posso olhar para esses dois grupos Os Terças e Sabatina e dizer: Somos apenas um grupo!

E como não podia deixar de dizer: Cada um tem o que merece! Por esse motivo, estou feliz por ter merecido cada um de vocês!

Somos alegres, ainda pequenos, porém fortes. Temos fé e muita sorte!

Parabéns a todos!

Thais Aguiar