29ª BIENAL DE SÃO PAULO


Entre as novidades da 29ª Bienal Internacional de São Paulo, que será aberta ao público no dia 25, estão os chamados terreiros, espaços de convívio que serão usados para atividades como performances, leituras e projeções. Dos seis terreiros criados por artistas e arquitetos convidados, um deles será colocado no lado externo do Pavilhão Ciccillo Matarazzo, no Parque do Ibirapuera. Assinado pelo arquiteto Roberto Loeb e pelo artista plástico e grafiteiro Kboco, o espaço “Dito, Não Dito, Interdito” tem como tema a linguagem e será dedicado a debates e conversas.

“Dentro da nossa concepção, ele é um espaço de encontro, que será ativado pelos visitantes, no caso o próprio público do parque”, explica Agnaldo Farias, curador-chefe da 29ª Bienal, ao lado de Moacir dos Anjos. “Nele ocorrerão algumas apresentações, ele funcionará como uma espécie de tribuna livre”, afirma.

Para completar a lista de obras externas, a 29.ª Bienal terá ainda a escultura “Fogueira de Gelo”, do pernambucano Paulo Bruscky, que será exibida no dia 25/9, a partir das 11h. Com 3 m de altura, a peça é formada por barras de gelo entrelaçadas que derretem ao longo das horas até desaparecerem totalmente.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

————————————————————————————————————

Balé da Cidade integra a Bienal de Arte

O primeiro trabalho da nova safra de criações do Balé da Cidade de São Paulo é Crônicas do tempo, coreografia que será apresentada na Bienal Internacional de São Paulo dia 25, às 11h e às 14h.

Last Riot

A relação entre arte, memória e política

Paralelamente à 29ª Bienal de São Paulo e integrando seu Polo de Arte Contemporânea, o Paço das Artes apresenta mostra coletiva sobre os temas política e memória. Crossing [Travessias] também contempla a mesa redonda Arte, Memória e Poder, com Márcio Seligmann-Silva e Priscila Arantes, no dia 28 de setembro, às 19h.

Escola São Paulo apresenta a obra de Thomas Hirschhorn

Até o dia 8 de outubro, a Escola São Paulo apresenta a obra Salle Flottante, do artista Thomas Hirschhorn. A mostra faz parte da programação da 29ª Bienal de São Paulo e proporciona mais um espaço para reflexão sobre o binômio ‘arte – política’, mote desta edição da mostra internacional.

Teatro Oficina faz apresentação na Bienal

A trama será encenada por, aproximadamente 50 artistas – entre associados da Uzyna Uzona, dançarinos da companhia Cavalaria e aprendizes das oficinas do Bexigão.

Visitas orientadas para professores e alunos

Durante a 29ª Bienal de São Paulo, professores e estudantes interessados terão o direito a receber visita monitorada.

Veja quem são os curadores da Bienal

Com curadoria de Moacir dos Anjos e Agnaldo Farias, a 29ª Bienal de São Paulo contacom um grupo de curadores convidados.

Hitoshi Nomura, Tardiology (1968-1969)

Galeria Luisa Strina na mostra “Primeira e Última”

Paralela à Bienal de São Paulo, mostra coletiva com curadoria de Rodrigo Moura, inaugura nova sede da galeria.

cena do filme

29ª Bienal de São Paulo é do cinema experimental

A 29ª Bienal de São Paulo é marcada pelo grande peso da curadoria no material audiovisual. Na programação, confirmados estão quatro cineastas: a belga Chantal Akerman, o português Pedro Costa, que o CCBB exibe retrospectiva, o tailandês Apichatpong Weerasethakul e o alemão Harun Farki.

miguel rio branco

Prepare-se para 29ª Bienal de São Paulo

Em contagem regressiva para o Catraca Livre selecionou espaços que exibem trabalhos de artistas, que farão parte do evento.

Fonte: Jornal O Estado de São Paulo e Catraca Livre

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s